O papel do líder no apoio a profissionais com baixa resiliência emocional

Elegant and cheerful businesswoman.
0

Na física, a resiliência é a capacidade que um objeto tem de voltar ao normal depois de sofrer uma deformação. Um bom exemplo de material resiliente é a mola, que após ser esticada ou apertada retorna à sua posição inicial sem apresentar alteração em sua estrutura.

Na psicologia, a resiliência refere-se à capacidade de adaptação de pessoas que passam por grande estresse ou episódios adversos e ainda assim conseguem se recuperar e seguir em frente sem serem afetadas por isso.

Já no mundo corporativo, onde a expressão se tornou popular, a resiliência é uma habilidade que pode diferenciar e destacar qualquer profissional, independente de sua área de atuação ou posição dentro de uma empresa.

Profissionais com maior resiliência têm altos recursos psicológicos para se recuperar de eventos adversos e dificuldades, enquanto aqueles com menos recursos psicológicos precisarão de mais apoio para desenvolver essa habilidade emocional.

Atualmente, todos nós estamos passando por um momento bastante adverso: a pandemia. Essa nova realidade tem criado diversos questionamentos, e o principal deles é de que forma os profissionais vão conseguir chegar ao fim do dia sem desabar ou entrar numa crise mental. Afinal, fomos obrigados, de um dia para o outro, a mudar nossos hábitos – isso inclui ter que aprender a conviver com demandas inéditas, rotinas alteradas, isolamento social, incertezas sobre o futuro etc. A conclusão a que chegamos é que, para ter sucesso no trabalho em meio a essa situação, só possuindo muita resiliência emocional mesmo!

A importância do líder fica ainda mais evidente nesse cenário adverso. Ele precisa estar permanentemente atento ao comportamento dos profissionais de sua equipe para que eles consigam desempenhar bem suas funções sem que isso afete sua saúde.

Desenvolvemos oito dicas para que os líderes possam apoiar os funcionários com baixa resiliência emocional, ajudando-os a superar as adversidades do momento e a continuar trabalhando com produtividade e engajamento.

Incentive a proatividade
Alguém que não é tão proativo precisará receber informações e tarefas de uma maneira diferente. Defina metas gerenciáveis a curto prazo e incentive as vídeo-chamadas para essa pessoa se comunicar e colaborar.

Melhore a automotivação
Em equipe e em nível individual, permita que seus profissionais, de forma autônoma, desenvolvam atividades ou projetos que apoiem os objetivos da empresa, além de fornecer oportunidades para o aprendizado e a capacitação. Isso motiva e mantém o envolvimento.

Aumente a conscientização
É necessário gerenciar o estresse. Ajude quem precisa a reservar um tempo para identificar a fonte do estresse e separá-la dos demais aspectos da vida. A psicometria pode ser usada para identificar as melhores técnicas de gerenciamento de estresse para cada pessoa.

Realize reuniões individuais regulares
Essa é uma ótima oportunidade para discutir individualmente pressão e cargas de trabalho, bem como saúde e bem-estar. Isso também permite a você a conhecer melhor a equipe, o que ajudará a identificar variações na resiliência emocional dos profissionais.

Promova hábitos de trabalho saudáveis
Evite enviar e-mails aos funcionários fora do horário de trabalho, especialmente para aqueles que sentem necessidade de responder imediatamente, pois isso criará um estresse indevido. Se você precisar trabalhar com mais flexibilidade, deixe claro que não espera uma resposta imediata.

Ajude sua equipe a tirar o máximo proveito do home office
Com o trabalho remoto em alta, certifique-se de prestar atenção especial para apoiar seus trabalhadores remotos e garantir que eles fiquem conectados não apenas a você, mas entre si. Faça um esforço consciente para ter conversas sociais com sua equipe, além de discutir as atividades profissionais.

Reformule sua percepção
Através da autoconsciência, você pode mudar a maneira como vê as coisas que estão fora de seu controle. Quando um funcionário parece estar estressado, procure maneiras de reformular sua abordagem a ele, contribuindo para que as coisas sejam vistas por um ângulo diferente.

A resiliência emocional pode ser treinada.
Observe o comportamento e a inteligência emocional
Você pode usar a psicometria para entender a resiliência emocional de seus funcionários. As ferramentas PPA e o TEIQue contribuem para que os líderes entendam realmente quem é capaz de se recuperar e quem não é. Elas ainda mostram formas inovadoras de se comunicar com os funcionários que têm menor resiliência emocional.

Além de seguir estas dicas, saiba que é possível desenvolver a capacidade de resiliência, e um importante instrumento para isso são as ferramentas psicométricas disponíveis no mercado. Também é fundamental estar atento para as necessidades de bem-estar dos profissionais de sua equipe. Unindo isso, técnicas e atenção às pessoas, seu legado como um líder de sucesso começará a ser construído.

Angelina Assis – Psicóloga e Gerente de Relacionamento do Grupo Soulan.

EMPRESA ALTAMENTE RECONHECIDA