Mais do que selecionar profissionais rapidamente, as empresas querem acertar na escolha

Young indian businessman having video call talking to potential employee.
0

Uma pesquisa da Thomas International revelou que, por conta da pandemia, os processos de recrutamento de profissionais diminuíram em 67% das empresas e foram interrompidos completamente em 8% delas durante 2020. Agora, com o avanço da vacinação em todo o país, 66% das organizações planejam aumentar a atividade de recrutamento.

Esse é só mais um dado que comprova que a área de Recursos Humanos das empresas foi uma das mais impactadas durante a pandemia. Por reconhecer a importância estratégica dessa área nas organizações, é correto dizer que, a partir de agora, além de aumentar o número dos processos seletivos, as empresas também precisam recrutar com mais agilidade e efetividade.

A grande mudança que tivemos nesse período – que entendo como um ótimo aprendizado para quem atua na área – foi justamente a necessidade de otimizar o nosso tempo. Com isso, tivemos que adaptar formas de trabalho e adotar novas, buscando recursos que possibilitam gerir o tempo a partir da redução de processos, o que traz como resultado um atendimento com ainda mais qualidade e rapidez às áreas e clientes para os quais nos reportamos.

Para conferir essa agilidade e eficiência aos processos seletivos, como o momento exige, é preciso que as empresas estejam atentas ao que o mercado tem oferecido em termos de tecnologia. E quando se trata de otimizar o recrutamento de profissionais, ter acesso às informações sobre o perfil de indivíduo pode fazer toda a diferença.

Daí a importância do profissional de RH estar sempre atento às mudanças, conhecendo novas ferramentas disponíveis para extrair o melhor de cada uma delas em benefício próprio. Às vezes, é necessário até mesmo usar mais de uma ferramenta ou plataforma para fazer entrevistas, inclusive diversificando-as de acordo com o perfil profissional que a empresa está buscando – por exemplo, quando se trata de recrutar para vagas operacionais, percebemos que a melhor ferramenta é o WhatsApp, pois funciona bem e é fácil de ser usada, sendo um recurso interessante para a entrevista. Precisamos nos lembrar de que nossa função como RH é facilitar e não complicar o contato com o profissional, afinal o ser humano continua sendo o centro de toda e qualquer iniciativa das empresas, e faz parte do nosso trabalho fortalecer essa interação.

Também deve ser nossa preocupação manter ou aperfeiçoar ainda mais a qualidade desse contato, sempre visando o que é melhor para os indivíduos, para que se sintam acolhidos e confortáveis no momento das entrevistas de emprego. Não podemos jamais perder de vista o contato olho no olho, e, mesmo que seja através das telas, os RHs devem estar dispostos a seguir com essa parte do processo de recrutamento.

O contrário também é verdade. Se nós, como recrutadores/selecionadores, adotamos diversos cuidados, quem está sendo entrevistado também tem que se preparar para fazer uma excelente entrevista. Por isso, quero compartilhar dicas importantes para quem vai participar de processos seletivos, já que continuamos com as mesmas técnicas de avaliação.

O preparo para o momento da conversa demanda bastante atenção. Não é porque a entrevista será virtual que o candidato pode participar de qualquer jeito. É preciso cuidar do ambiente ao redor. Se ele mora com outras pessoas, deve avisar que vai participar de uma entrevista e pedir para que o ajudem nesse momento, permitindo que ele tenha uma boa estrutura e que se sinta confiante. Colocar o celular no silencioso também é fundamental, evitando distrações durante a conversa. Também é preciso testar os equipamentos antes, utilizar fone de ouvido nas entrevistas para reduzir os ruídos, principalmente por telefone, e estar disponível na sala virtual com antecedência de pelo menos 10 minutos do horário marcado, para que seja possível realizar ajustes caso ocorra qualquer problema técnico.

Após os cuidados com o ambiente, é preciso focar em si próprio e no preparo para a conversa, ter uma organização sobre o que será falado é importante, embora as entrevistas sejam diferentes, o intuito é conhecer o candidato, suas vivências e trajetória. Uma dica importante é reservar um local com boa iluminação, pois assim o entrevistador consegue ver nitidamente o rosto do candidato. Mesmo a distância, o selecionador está avaliando, por isso demonstrar calma e tranquilidade pode ajudar bastante. Outra recomendação é manter o foco na conversa, porque a forma como o candidato se comunica também é observada. Além disso, é necessário ter segurança e clareza nas falas, estruturando bem o discurso. Mesmo que as empresas estejam mais informais atualmente, seguir essas dicas pode impactar positivamente no resultado da seleção. Essas são só algumas dicas que podem ajudar o candidato no momento das entrevistas virtuais.

Enfim, nesse cenário de tantas mudanças, o que proporciona mais tranquilidade tanto para recrutadores quanto para candidatos é saber que podem contar com o apoio de ferramentas práticas e funcionais que, além de agilidade, garantem mais eficiência e segurança aos processos seletivos. As avaliações psicométricas são uma excelente maneira de ver além das habilidades e experiências de um indivíduo.

Com elas, os recrutadores poderão realmente mergulhar em suas motivações, pontos fortes e preferências de trabalho, e assim optar pela escolha do melhor perfil para as empresas, com agilidade e assertividade.

Nadjane Oliveira – Psicóloga, Administradora e Gerente de RH do Grupo Soulan

EMPRESA ALTAMENTE RECONHECIDA

Olá! Posso tentar te ajudar por aqui? É só clicar em mim!